Do Nyushokussai à Festa do Ovo - Parte I - Avicultura no Brasil - A Hora do Ovo

o site de notícias do mundo do ovo

ARTABASNetto AlimentosVET IMPORT

Avicultura no Brasil


publicidade
VET IMPORTBOEHRINGER INGELHEIM

DO NYUSHOKUSSAI À FESTA DO OVO - Parte I

Neste texto, publicado no livro 80 anos da História de Bastos - editado pela Acenba (Associação Cultural e Esportiva Nikkey de Bastos) - os primórdios  da história da Festa do Ovo, como ela começou e como se desenvolveu. Um pouco da história da avicultura, em festa.

http://www.ahoradoovo.com.br/arquivos/img/2012/6/10_96_conteudo_p.jpg
Legenda:foto

O primeiro Nyushokussai (Festa de Fundação da cidade) foi realizado em 1935, quando o governador de São Paulo, Armando Sales, visitou nosso município. Foi um grande acontecimento que movimentou não somente Bastos mas todas as cidades da redondeza. Foi, de fato, uma recepção e uma festa que envolveram toda a população de Bastos. A grande movimentação daquele momento pode ser deduzida através da coleção de fotos do Álbum Comemorativo de 45 anos da fundação da cidade.

Durante mais de uma década a partir de então, até completar 20 anos de fundação, em 1948, não havia condições para realizar festividades, devido ao difícil período da Segunda Guerra. Com a tranquilidade voltando aos poucos, a vontade de comemorar os 20 anos de fundação foi crescendo entre os imigrantes. A indústria agrícola de Bastos, que estava em declínio, começava a crescer novamente graças ao progresso da avicultura. A média da indústria avícola daquela época era de mil aves por avicultor, de forma que a escala de criação era muito pequena em comparação aos dias atuais, mas suficiente para injetar ânimo para comemorar os 20 anos de fundação da cidade. Para se ter uma idéia, na entrada do Salão de Exposição Agrícola, a Associação dos Moços ergueu um portal de ovos utilizando 960 dúzias de ovos, deixando todos os visitantes, admirados. Nos festejos, foi convidado o Sr. Kunito Miyasaka, da Bratak, que compareceu na inauguração da Praça Kunito Miyasaka, construída em homenagem aos 20 anos de fundação da cidade. Para animar ainda mais a festa, foi realizada a eleição da Rainha da Festa do Ovo. Merece registro especial a existência de um bom número de artistas em Bastos e, por isso, excepcionalmente, foi montado um palco no centro da cidade para a realização de um Festival Artístico. Nos anos posteriores, esse palco e o Festival Artístico se transformaram em uma das atrações do Nyushokussai, sendo um evento famoso entre as realizações da Associação Japonesa. Por ter sido criada pouco tempo depois do término da 2ª Guerra Mundial, a Associação Japonesa dessa época ainda era fraca, entretanto, graças ao esforço e colaboração dos imigrantes obteve sucesso na realização da festa. A partir de então, o Nyushokussai tem sido realizado todos os anos.  

A festa de comemoração de 25 anos, em 1953, foi especial e marcou época na história de Bastos. Foi inaugurada a nova Associação Japonesa tendo como presidente o Sr. Akira Taniguchi. O Nyushokussai estava sob o total comando da nova Associação Japonesa. Os eventos, como a exposição de arranjos florais (ikebana), de Bonecas Japonesas e a eleição da Rainha da Festa do Ovo, ficaram a cargo da Liga da Associação dos Moços. As despesas eram da responsabilidade da Associação Japonesa, com o dinheiro arrecadado da colaboração financeira da Colônia que, finalmente, começava a se firmar.

O Festival Artístico, que começou no aniversário de 20 anos de Bastos, ano a ano foi se tornando cada vez mais espetacular, o palco reformado magnificamente, com a construção de um passadiço lateral ligado ao palco, onde os bons artistas podiam exibir toda a sua arte. Era teatro ao ar livre, no qual o público assistia ao espetáculo sentado no chão, mesmo assim, as pessoas guardavam seus lugares sob o frio, três dias antes, tal era a popularidade da apresentação. A partir dessa época, o Nyushokussai de Bastos começou a ser conhecido em todo o Brasil, a tal ponto de faltar hospedagem na cidade com o afluxo de ex-bastenses, parentes e amigos que aqui vinham na expectativa de presenciar essa festa anual.

O local de apresentação artística ao ar livre instalado pelas mãos dos imigrantes para festividades de 20 anos de fundação da cidade foi utilizado até o início da década de 1970. Por causa de seu tamanho diminuto, foi construído um novo local no terreno da antiga sede do Issenkai (Centro Cultural). Porém, em torno desse período, passou a operar uma mudança nas condições sociais, com a difusão da televisão e a aquisição de carros particulares pelas famílias, diminuindo, gradualmente, o interesse pela apresentação artística ao ar livre. Além disso, a festividade que, no passado, era totalmente administrada pelo Bunkyo, na década de 1970 passou para o comando da Prefeitura. A exposição agrícola, excepcionalmente, era organizada pela Liga da Associação dos Moços, que se fortalecera politicamente. Ao Bunkyo restou a organização do engueikai (festival de danças), Ireissai e Keirôkai, que os realizava com o patrocínio financeiro da Prefeitura. Posteriormente, o outrora tão famoso engueikai foi perdendo sua popularidade e, mesmo com a mudança do local de apresentação para a sede do Bunkyo (kaikan), o interesse da população nikkei pelo engueikai só fez diminuir, sendo substituído pelo karaokê, promovido pelo grupo Karaokê Aikokai, e a participação do Bunkyo nas festividades foi diminuindo gradativamente.

http://www.ahoradoovo.com.br/arquivos/img/2012/6/10_97_conteudo_p.jpg
Legenda:foto

Na década de 1980, a participação do Bunkyo nas festividades praticamente desapareceu, ficando a entidade apenas com a realização do Ireissai e Keirôkai, no dia 18 de junho, passando a arcar também com as despesas. Entretanto, na década de 1990, a situação mudou radicalmente. Com a mudança de governo, a Prefeitura solicitou a colaboração do Bunkyo, por considerar oneroso o orçamento da festividade, e a administração do Recinto de Exposição, que estava sob o controle da Liga das Associações dos Moços. Como resultado da discussão, a organização do salão de exposição, considerada a mais trabalhosa e dispendiosa, foi atribuída totalmente ao Bunkyo. Nessa época, quase toda a sua diretoria era composta de membros nisseis, arrimos de família, contribuintes ativos da economia de Bastos, que ajudaram a fortalecer e atrair a presença de empresas fornecedoras nos estandes de exposição, criando-se a oportunidade de consolidar e melhorar o relacionamento comercial entre os avicultores e seus fornecedores. Obteve-se, dessa forma, a cada edição da Festa do Ovo, sensível aumento no número de empresas expositoras. Tal fato influiu enormemente nas administrações posteriores do Bunkyo, transformando a Festa do Ovo em grande fonte de renda para a Acenba, criando uma sólida relação entre os dois.

POSTE AQUI O SEU COMENTÁRIO




Exibir comentários

    Não há comentários!