A evolução do marketing do ovo e o Instituto Ovos Brasil - Comentários e Opinião - Com a Palavra - A Hora do Ovo

o site de notícias do mundo do ovo

VET IMPORTNetto AlimentosSemana do Ovo 2018

Comentários e Opinião - Com a Palavra


publicidade
Semana do Ovo Ovos RS 2018VET IMPORT
http://www.ahoradoovo.com.br/arquivos/img/2014/3/594_1354_conteudo_g.jpg
Marketing do ovo: mais valor ao alimento e ao produto

A evolução do trabalho do Instituto Ovos Brasil, entidade criada em 2007 com o objetivo de defesa e promoção do produto ovo, se deu através do desenvolvimento de atividades de esclarecimento, envolvendo treinamento, capacitação e atualização dos profissionais como médicos, nutricionistas, além da população em geral, especialmente donas de casa, crianças e adolescentes. Ao longo desses seis anos de atuação da entidade, participamos de um sem-número de eventos, seminários, feiras, cursos e congressos, buscando sempre levar a público informações atualizadas e cientificamente comprovadas sobre o consumo de ovos e todos os benefícios desse alimento.

Conseguimos tirar o ovo das “páginas policiais” – já que ele era considerado um “vilão” - para colocá-lo nas páginas dedicadas à saúde e à gastronomia, merecidamente.

O ovo se transformou até mesmo em prato sofisticado! E tudo isso foi basicamente construído através da dedicação de uma equipe enxuta, coesa e com muita criatividade, já que os recursos sempre foram escassos. Conseguimos atingir a grande mídia, com espaços em televisão, jornais e revistas, conquistados graças à credibilidade do Instituto Ovos Brasil e ao trabalho sério por nós desenvolvido. Essa criatividade e talento para conquistar uma grande divulgação sem custo tornou-se, inclusive, vencedora por três vezes consecutivas do concurso Huevo de Oro, promovido pelo Instituto Latinoamericano do Ovo, que reconheceu o excelente trabalho desenvolvido pelo Instituto Ovos Brasil (v. foto).

Quando iniciamos nosso trabalho, em 2007, o consumo per capita do ovo no Brasil estava em torno de 130 ovos/ano. Agora, fechamos 2013 com um consumo per capita de 168 ovos/ano. Isso representa quase 30% de aumento em seis anos de trabalho.

Havia sempre um questionamento, e ainda há, se conseguiríamos um crescimento sustentado, se esse trabalho de promoção do ovo levaria a uma melhora também na lucratividade da atividade. E podemos dizer, sim, houve uma melhora para os produtores, pois somente nos últimos quatro anos foi registrado um aumento de, pelo menos, 50% nos preços de comercialização.

Paralelo a esse aumento de consumo e a essa melhora nos preços, o setor investiu muito na atividade, principalmente nas estruturas de produção, com a instalação de galpões automatizados, melhora nas salas de classificação, fábricas de rações, nas recrias e etc. Porém, infelizmente, a dificuldade de obtermos recursos para custear todo esse trabalho só vem aumentando. Acreditamos que para muitos produtores essa melhora na atividade os deixou menos preocupados com a necessidade do trabalho de promoção e defesa do ovo. É como se pensassem que, se tudo tudo caminha bem, não há mais aquela urgência de união e empenho do setor que marcou os anos de 2006/2007, quando as perspectivas eram negras para a atividade.

E agora, o que nos espera para 2014 e daí para a frente? Apesar da melhora, ainda estamos longe do consumo per capita de nossos vizinhos, como a Argentina e a Colômbia, que já ultrapassaram 200 ovos per capita/ano.

Para a continuidade do crescimento sustentado dessa atividade, precisamos ampliar o trabalho desenvolvido junto aos nutricionistas e médicos nutrólogos e, acrescentando aí, o trabalho que deve ser realizado nas escolas, academias etc.

Precisamos também melhorar a qualificação das pessoas envolvidas na comercialização dos ovos, melhorando os canais de distribuição. Precisamos agregar mais valor ao produto. Sem falar do desafio de nos prepararmos para a questão do bem-estar animal, tema este que já, já virá bater a nossa porta. Estamos preparados para tudo isso?

O Instituto Ovos Brasil pretende continuar a ser o elo entre os produtores de ovos, os consumidores e toda a cadeia de distribuição, fornecendo informações científicas e comprovadas sobre os valores nutricionais do ovo.

Os mitos que impediam o crescimento do consumo de ovos praticamente já caíram por terra, e agora é o momento de aproveitarmos esse ressurgimento do ovo, mostrarmos a relação positiva entre o consumo de ovos, o bem-estar e a saúde. E já temos também um desafio de curto prazo para 2014, pois as previsões indicam um aumento de 10% na produção de ovos neste ano.

Portanto, mãos à obra pois se não houver um incremento de consumo, já sabemos o final da novela! 

ROGÉRIO BELZER é zootecnista, consultor na área avícola e diretor executivo do Instituto Ovos Brasil

POSTE AQUI O SEU COMENTÁRIO




Exibir comentários

    Não há comentários!